O Circo Picolino, em Pituaçu, esteve em festa nesta sexta-feira (27). Em uma noite de celebrações, artistas e público comemoraram os 466 anos de Salvador e os 30 anos da Escola Picolino de Arte de Circo com a estreia do espetáculo “Gregório de Matos no Circo Picolino”. A homenagem ao poeta e escritor soteropolitano Gregório de Mattos é uma apresentação do projeto Viva o Circo, que integra a grade multicultural de atrações do Festival da Cidade 2015, evento promovido pela Prefeitura com patrocínio do Shopping da Bahia.

“É muito bom poder celebrar os 30 anos de Circo Picolino junto com o aniversário de 466 anos de Salvador e, mais do que isso, contar com esse apoio para estrear um espetáculo que foi tão esperado”, destacou Anselmo Serrat, fundador e diretor do Circo Picolino. As apresentações continuam no sábado (28) e domingo (29), sempre às 19h30, no Circo Picolino, na orla de Pituaçu, com entrada franca.

Quarenta alunos, de 7 a 16 anos, participam da montagem, que conta com música, malabarismo, trapézio, contorcionismo, tecidos e muita poesia. A cada cena, números que mesclam arte circense, literatura e música. O ator convidado, João Paranhos, interpretou os textos de Gregório de Mattos e Guerra. Criados pelos instrutores do circo, os números contam com direção musical de João da Lima, que musicou as poesias e adequando-as ao espetáculo circense.

O projeto Viva o Circo acontece anualmente desde a fundação do Picolino, há 30 anos, e foi contemplado duas vezes pelo edital Arte em Toda Parte, da Fundação Gregório de Mattos (FGM). Além do Boca do Inferno, nomes como Jorge Amado, Glauber Rocha e o músico Fred Dantas já foram homenageados.

Há três anos no Circo, o aluno Eric Santos, de 14 anos, teve uma noite marcante. “Entrei no Picolino aos 11 anos e aprendi muita coisa, malabares, trapézio. Hoje interpreto um Gregório menino, como um palhaço, e eu adoro fazer palhaço”, contou empolgado, encerrando a entrevista com um trecho, mais do que ensaiado do Boca do Inferno.